Auditoria Financeira 9 motivos por que sua empresa precisa

Se você está tendo dificuldade em entender algumas questões financeiras de sua empresa e precisa de uma opinião independente, esse serviço irá te ajudar e entregar inúmeros benefícios

Uma auditoria fornece um exame e avaliação imparciais de suas demonstrações financeiras para garantir que sejam apresentadas de forma justa e atendam aos princípios contábeis geralmente aceitos.

Mas como saber quando é necessária uma auditoria? As empresas e organizações são obrigadas a realizar uma auditoria por vários motivos, incluindo requisitos regulamentares e decisões financeiras.

Nos próximos tópicos, vamos esclarecer a importância da auditoria financeira interna e destacar os primeiros passos para investir no assunto. Portanto, continue a leitura!

Por que é necessitário realizar uma auditoria financeira?

Uma variedade de empresas e organizações exigem auditorias financeiras de auditores registrados para atender a determinados regulamentos.

Entre aqueles que precisam de seus relatórios financeiros anuais auditados estão empresas de grande porte, normalmente enquadradas nos regimes trintários do lucro real e lucro presumido. Empresas e organizações também podem ser obrigadas a realizar uma auditoria se estiverem solicitando um subsídio do governo ou buscando um empréstimo.

Uma auditoria financeira também pode ser necessária se você planeja sair do seu negócio para dar confiança adicional aos potenciais compradores de seu negócio.

Cuidar das finanças é sempre uma tarefa complexa. É preciso saber quando poupar e quando investir, além de ter total controle das movimentações financeiras para evitar fraudes, furtos e/ou corrupção. Essa é a importância da auditoria financeira interna.

Todos os anos, as organizações perdem bilhões por falta de controle financeiro. Esse valor poderia ser poupado e reinvestido no negócio, ou distribuído como dividendos ou lucros. Em resumo, há muitas perdas pela falta de auditoria.

O que é uma auditoria financeira?

A auditoria é um exame das atividades desenvolvidas em determinados setores ou áreas de uma instituição. 

Logo, auditoria financeira é um exame das finanças de uma empresa.

A auditoria é uma especialização da ciência contábil que visa testar, verificar ou analisar os fatos e ocorrências que afetam o patrimônio de uma empresa visando concluir sobre a eficiência de seus controles e procedimentos internos.

Ela identificará a existência de problemas ou riscos em qualquer atividade financeira da empresa. 

Além disso, verificará a razão dessa ocorrência  e irá também detectar formas de eliminá-las.

Podemos dizer que a auditoria financeira é uma espécie de controle de qualidade das atividades que tem intuito de proporcionar mecanismos de segurança em relação ao estado financeiro, organizacional e legal da instituição. 

alt="gestão-financeira-auditoria-e-controladoria"

Para que serve uma auditoria financeira?

IDENTIFICA FALHAS NA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

A administração dos recursos financeiros não dá muita margem para erros. É preciso que os registros correspondam aos valores físicos existentes, nem a mais ou a menos. Do contrário, há alguma coisa errada que precisa ser eliminada do expediente. A auditoria ajuda a diagnosticar falhas quase imperceptíveis no dia a dia. Para tal fim, analisa minuciosamente relatórios financeiros, como o demonstrativo de resultados do exercício, o fluxo de caixa e a análise de processos, para identificar possíveis falhas que precisam ser corrigidos.

ESTABELECE MECANISMOS PARA PREVENIR FRAUDES

Um profissional só comete fraude quando percebe uma “brecha” para agir e acredita que não vai ser descoberto. Muitas vezes, é o que acontece. A empresa não conta com mecanismos suficientes para prevenção ou investigação das fraudes cometidas. Com a auditoria, é possível fechar essa “brecha”. Os resultados finais serão analisados com cuidado, avaliando se qualquer parte do capital foi usada de maneira indevida ou desviada do caixa. Caso positivo, a empresa terá que adotar as devidas medidas legais.

OFERECE UMA VISÃO SISTÊMICA DOS RECURSOS FINANCEIROS

Para fazer boas escolhas, especialmente na área financeira, o gestor precisa de dados que subsidiem seu pensamento estratégico. Como saber quanto, como e onde investir se não há relatórios financeiros confiáveis? A auditoria pode eliminar esse problema. Ela oferece uma visão segura da situação patrimonial, econômica e financeira da empresa. Logo, o administrador pode deixar de se basear na intuição ou em relatórios pouco confiáveis para tomar decisões importantes, como “enxugar” certos gastos.

CONTRIBUI PARA A OBSERVÂNCIA DAS LEIS FISCAIS

A legislação fiscal corresponde às normas de tributação. O problema é que muitas empresas pagam mais impostos, taxas e contribuições do que realmente deveriam, só porque não dão atenção às leis fiscais. A auditoria também pode mudar esse cenário.

Depois da autoria financeira interna, o gestor pode avaliar em qual regime de tributação seu negócio se encaixa melhor, também poderá avaliar eventuais reduções de impostos. Isso ajuda a criar uma empresa mais enxuta e reduz custos não estratégicos.

Agora que entende a importância da auditoria financeira interna, deve descobrir como ela é feita. É preciso verificar os registros financeiros, os extratos bancários e o livro razão para avaliar se os valores reais estão adequados. Esse é um trabalho minucioso, que precisa de muita atenção. Por isso, o comum é contar com uma consultoria especializada.

O que faz um auditor financeiro?

As principais funções do auditor financeiro é analisar as contas e operações das empresas, bem como, prezar pelo cumprimento de normas e conferir balancetes, despesas e documentos comprobatórios, a fim de atestar se estão de acordo com o regimento das regras financeiras, administrativa e contábil.  

Além disso, o auditor financeiro tem a missão de elaborar relatórios com os resultados, realizar reuniões com os administradores e corrigir os problemas apontados.

A má-fé dos administradores perante as informações empresariais e, consequentemente, a má resolução dos problemas encontrados na empresa podem levar à exclusão de companhia na Bolsa de Valores ou inviabilizar todas as operações contratuais.

Dessa forma, o trabalho de um auditor fiscal depende da transparência dos administradores  e da disponibilidade dos documentos corretos de controle interno da empresa, como fluxos de caixa e demonstrações de resultado.

Qual é o melhor momento para recorrer a uma Auditoria Financeira?

Antes de entrar nesse ponto é importante dizer que dentro do segmento de auditoria existem vários produtos, como a auditoria contábil, operacional, de qualidade e a financeira – que deve fazer parte de um modelo maduro de gestão.

O professor Teodoro explica que muitas pessoas acreditam que esse tipo de auditoria é indicado apenas quando a organização já encontra problemas, como a fraude.

No entanto, ela deve ser adotada muito antes de chegar a esse ponto. “A auditoria age preventivamente para certificar que os procedimentos estão sendo cumpridos”, afirma Teodoro.

Portanto, a empresa deve recorrer a essa ferramenta de forma preventiva para identificar irregularidades que podem ser resolvidas e garantir a saúde financeira e estrutural da organização, que é fundamental para que ela se mantenha.

Um ponto importante: é preciso abraçar a Auditoria Financeira!

O proprietário ou gestor é quem precisa realizar esse projeto. “Se a empresa resiste, a auditoria não anda. O dono tem que abraçar a causa para que os demais colaboradores também façam o mesmo”, indica o professor.

Isso é essencial, pois a Auditoria Financeira depende dos colaboradores para levantar dados e informações, além de analisar suas atuações e desempenhos.

Se suas demonstrações financeiras exigirem uma auditoria, nossa equipe de especialistas ajudará sua empresa a se preparar para uma auditoria financeira e revisar sua auditoria. T

AUDITORIA FINANCEIRA ESPECIALIZADA EM CUIABÁ MATO GROSSO

E o que essa auditoria pode atestar?

De acordo com Teodoro, ela pode atuar na identificação dos seguintes pontos:

  • rotinas não cumpridas;
  • profissionais não adequados aos cargos;
  • problemas de controles internos que não haviam sido detectados;
  • indícios de desvios financeiros.

Uma vez identificados, será possível estabelecer planos e soluções para evitar problemas maiores, que podem colocar o negócio em falência.

Auditoria Contábil x Auditoria Financeira

Se você for fazer uma pesquisa sobre Auditoria Contábil x Auditoria Financeira verá que muitos autores tratam ambas como se fossem a mesma coisa. Uma parte disso explica-se pelo fato de que ao falarmos de Fiscalização Contábil dizemos que quando as técnicas contábeis são corretamente aplicadas isso acabará englobando a Fiscalização Financeira também.

No entanto, para este artigo trabalhamos com a seguinte noção:

  • Auditoria Contábil diz respeito à avaliação da adequação das demonstrações contábeis;
  • Auditoria Financeira é a avaliação dos controles financeiros da empresa (tanto contábeis quanto operacionais).

Como fazer uma auditoria financeira passo a passo

A auditoria beneficia muitas partes de uma organização: acionistas, investidores, fornecedores e funcionários, pois confirma a saúde financeira do negócio, considerando sua boa reputação e agregando valores. 

Abaixo traremos resumidamente 5 (cinco) passos essenciais para uma auditoria financeira.  

1. Mapeamento dos processos

A primeira etapa a ser realizada na auditoria é o mapeamento de processos existentes. 

Trata-se de identificar e classificar todos os processos existentes na área financeira. São exemplos:

  • Gestão de fluxo de caixa;
  • Pagamentos de fornecedores;
  • Cobrança de inadimplentes;
  • Conciliações;
  • Extratos bancários;

É necessário transformá-los em fluxos ou mapas das atividades executadas nesses processos, com objetivo de esquematizar e condensar as tarefas proporcionando uma visão mais ampla e clara das demandas do setor. 

Lembrando que é importante que essa etapa seja realizada por um profissional capacitado com auditor ou gestor da empresa. 

2. Identificação de riscos

Após realizada a etapa de mapeamento, iremos para a identificação dos riscos dos processos analisados na etapa anterior. 

Para isso, é necessário indagar diretamente o gestor dessa área ou juntamente com ele realizar a averiguação nos fluxos apresentados. 

É importante considerar a percepção dos riscos do gestor e se possível também da equipe envolvida para cada procedimento. 

Essa etapa poderá também ajudar na identificação de erros ou inconsistências que não estejam seguindos as normas contábeis. 

3. Identificação dos controles internos

Identificado os riscos e seus possíveis impactos nos processos financeiros, o próximo passo será identificação dos controles internos, que tem a finalidade de minimizar esses impactos. 

Deverão ser analisados os mais diversos tipos de controles existentes na empresa: 

  • planilhas;
  • relatórios;
  • sistemas;
  • contratos; 
  • aprovações;
  • assinaturas;
  • carimbos; 
  • baixas;
  • revisões;
  • conciliações.

Para cada procedimento ou situação podemos utilizar como parâmetro, os seguintes questionamentos:

  • Qual o controle interno que poderia existir para minimizar esse risco?
  • Ele está já está implantado?

Vale ressaltar que todos os controles internos do setor financeiro estão também interligados a contabilidade da empresa. 

Desse modo, deverão ser consideradas ferramentas que auxiliam o desempenho das atividades dos dois setores no dia a dia. 

4. Testes do controle interno

A etapa de testes irá mensurar o nível de segurança e eficiência  dos procedimentos internos adotados pela empresa e se eles minimizam de fato os riscos encontrados. 

São baseados em técnicas e procedimentos específicos que a auditoria irá colocar cada controle interno à prova.

Para auditar cada área das finanças: tesouraria, contas a pagar, contas a receber; as técnicas que poderão ser utilizadas, podem ser:

  • Exame físico;
  • Observação;
  • Inquérito;
  • Validação;
  • Cálculos, entre outros. 

Caso o auditor ou gestor verifique ineficiência nos controles internos, deverá relacionar os problemas encontrados e analisar os impactos ocasionados para a empresa de modo geral. 

5. Análise dos resultados

A análise dos resultados se dá pela obtenção de evidências a partir da aplicação das técnicas de auditoria. 

É nela que se identifica indícios da realização correta ou não dos procedimentos de controle interno.

Vale salientar que a auditoria não tem exclusivamente o objetivo de apontar erros ou fraudes. 

Embora seja comum que a adesão a esse processo seja feito após algum tipo de falha nas rotinas financeiras da empresa.

Nessa etapa, o auditor ou gestor deverá elaborar um relatório sugerindo melhorias práticas para solucionar etapas que não se mostraram tão eficientes e nas avaliações positivas é recomendada a manutenção do procedimento. 

09 benefícios e vantagens da Auditoria Financeira

As empresas que se encontram em um modelo de gestão amadurecido recorrem a auditoria de forma absoluta, como explica o professor. Seja para se manter bem no mercado ou para prestar informações aos sócios ou ainda para conquistar a confiança e expressar credibilidade aos investidores.

Portanto, se você ainda alimenta dúvidas sobre aderir ou não à Auditoria Financeira, listamos abaixo 10 benefícios que podem contribuir para manutenção e segurança do seu negócio. Confira:

  • preza pela segurança na informação;
  • faz fiscalização da eficiência do controle;
  • garante a manutenção da empresa;
  • melhora margens de lucro;
  • dá mais segurança para os colaboradores;
  • dificulta desvios e pagamentos indevidos;
  • avalia o cumprimento de rotinas dentro das políticas;
  • apresenta transparência na governança;
  • melhora o compliance.

4 livros de Auditoria Financeira

  • Gestão de riscos corporativos: Como integrar a gestão dos riscos com a estratégia, a governança e o controle interno? de César Ramos

Disponível em e-Book Kindle, o objetivo deste livro é ajudar os gestores de riscos corporativos a implantar processos organizados, lógicos e integrados de gestão e análise dos riscos e mostrar quais são os principais fatores críticos, as metodologias e as ferramentas concretas de integração de um sistema eficaz de gestão dos riscos corporativos nos controles internos e na governança corporativa das organizações.

  • Auditoria, Planejamento & Gestão Tributária. Teoria e Prática de  Everson Luiz Breda Carlin

O objetivo principal deste livro é fornecer uma abordagem sobre o funcionamento do Sistema Tributário Brasileiro, analisando, de forma genérica, simples e direta, os efeitos da carga tributária nos negócios empresariais e seu gerenciamento tributário interno.

  • Auditoria para Concursos: Teoria e questões comentadas de Arthur Leone

Com uma linguagem objetiva e bastante didática, Auditoria para Concursos aborda a doutrina e os aspectos normativos da auditoria (interna e externa), além de incluir o tema perícia contábil, que vem sendo cobrado com frequência em concursos.

  • Auditoria Financeira: teoria e prática de Ehrhardt, Michael C. & Brigham, Eugene F.

O objetivo desta obra clássica é fazer que os estudantes e administradores entendam o papel das finanças na economia global, em sua empresa e em sua vida. O texto traz um aprofundado estudo para mostrar as aplicações na vida real, começando com conceitos básicos, incluindo informações sobre o ambiente econômico e financeiro, demonstrações financeiras (com ênfase em fluxo de caixa), valor temporal do dinheiro, avaliação de títulos, análise e avaliação de ações.

Assim, em Auditoria Contábil x Auditoria Financeira existe uma certa diferença, mas ambas andam de mãos dadas, não é mesmo?

Você também pode gostar de ler:

Saiba o que é processo de execução fiscal e as implicações que podem ocorrer com seus benshttps://consultorestributarios.com.br/o-que-e-processo-de-execucao-fiscal/

Gostou? Compartilhe e marque nossa página!